Cachorrinho abandonado com um bilhete em banco de praça aprende a confiar novamente e é adotado

Cachorrinho abandonado com um bilhete em banco de praça aprende a confiar novamente e é adotado

Acorrentado a um banco, incapaz de se mover, um cachorrinho se perguntou quando sua família voltaria para buscá-lo. Mas enquanto o cachorro olhava com cautela para a multidão de estranhos reunida ao seu redor, ele sentiu que algo não estava certo.

Marcela Goldberg recebeu uma mensagem sobre o cachorrinho deixado no canteiro central e correu com o colega Azul Galindo. Ela não ficou surpresa – havia muitos cães abandonados em sua cidade desde o início da pandemia.

“Felizmente vários vizinhos lhe trouxeram água e comida porque viram que o cão foi deixado amarrado ao banco sem nada”, disse Marcela. “Mas eles não conseguiram chegar perto porque o cachorro estava apavorado e rosnando”.

Ao lado do cão meio-golden retriever havia uma nota que dizia o seguinte:

“Olá, por favor, me adote: Max. Por favor, peço que você adote este cachorro fofo e cuide bem dele. Dói muito deixar meu cachorro aqui, mas decidi deixá-lo porque minha família o maltratava e sempre me machucaria vê-lo assim. Se você está lendo isso e seu coração vacila, por favor, adote-o e cuide bem dele. Caso contrário, deixe esta nota em seu lugar. Dessa forma, outros podem ler e adotá-lo. Obrigado.”

O cachorro ficou apreensivo quando Marcela se aproximou dele, e nem mesmo o cheiro de comida o relaxou ou o distraiu. “Usei luvas de proteção para poder me aproximar com mais confiança, mas ainda era difícil”, disse Marcela. “Entramos em contato com um treinador com experiência em cães agressivos que observou a situação por videochamada e me deu instruções até conseguirmos passar o laço [sobre sua cabeça] e cortar a outra corrente.”

Assim que a corrente foi cortada, a atitude do cão mudou. Ele ainda estava assustado, mas não rosnava mais para seus salvadores. Marcela lentamente começou a acariciá-lo no carro e, quando chegaram ao abrigo, o cachorrinho já havia se acalmado.

O cão de 7 meses, que foi renomeado para Boston, está lentamente aprendendo a confiar nas pessoas e deixar sua personalidade lúdica transparecer.Advertisement

“Ele é meigo, muito carinhoso, adora dar beijos e brincar com a bola que o veterinário lhe deu”, disse Marcela.

Poucos dias após seu resgate, Boston se transformou em um cão totalmente diferente. Agora, seus salvadores estão analisando os pedidos de adoção para garantir que ele vá para a melhor casa – uma onde nunca mais terá que se preocupar.

Fonte: Catioro Reflexivo

Maria Odete

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.