Casal chinês reencontra filho sequestrado após 14 anos

Casal chinês reencontra filho sequestrado após 14 anos

Um casal no sul da China reencontrou o filho desaparecido em uma cerimônia emocionante nesta segunda-feira (8), encerrando uma busca de 14 anos que inspirou um filme de sucesso.

Sun Zhuo, que hoje tem 18 anos, foi sequestrado na cidade de Shenzhen, em 2007, aos 4 anos, mas seus pais nunca perderam a esperança de vê-lo novamente.

Seu pai, Sun Haiyang, e sua mãe, Peng Siying, venderam propriedades para financiar a busca e ofereceram uma recompensa de até US$31.000 por informações sobre o paradeiro do filho, informou a mídia estatal chinesa.

Sun Haiyang disse que viajou a quase todas as regiões da China ao longo dos anos para procurar o garoto, de acordo com um site do Ministério da Segurança Pública.

“Querida”, um filme de 2014 do diretor de Hong Kong Peter Chan, foi baseado na história da Sun, e arrecadou mais de US$ 50 milhões nas bilheterias, de acordo com o IMDb. A produção trouxe para os holofotes a questão generalizada do sequestro e tráfico de crianças na China.

Especialistas dizem que o problema dos sequestros foi agravado pela política do filho único da China, que foi relaxada nos últimos anos. Durante décadas, aqueles que tinham um segundo filho ou filha recebiam multas pesadas ou eram obrigados a abortar a gravidez.

Tradicionalmente, as famílias – especialmente aquelas em áreas rurais – viam os meninos como mais capazes de sustentar a família e manter a linha familiar, formando um mercado clandestino para garotos e pressionando muitas famílias a entregar meninas bebês para adoção.

As autoridades encontraram Sun na província oriental de Shandong, depois que a polícia usou tecnologia de reconhecimento facial para ajudá-los a identificar um suspeito, de sobrenome Wu, que acusam de sequestrar o jovem, informou o site do ministério.

A identidade de Sun foi confirmada por análise de DNA. Wu foi detido em conexão com dois sequestros de crianças, incluindo o de Sun, disse a polícia. O pai e a mãe adotivos do jovem foram libertados sob fiança, enquanto aguardam julgamento, completou a mídia estatal.

Em uma reviravolta na história, Sun disse à imprensa chinesa que ficará com seus pais adotivos, porque eles o criaram por mais de 10 anos e ele não tinha conhecimento de sua verdadeira origem.

Segundo a lei chinesa, a pena máxima para o tráfico de pessoas é a morte. Compradores de pessoas traficadas podem ser presos por até três anos.

Não está claro quantas crianças desaparecem na China a cada ano, embora as estimativas cheguem às dezenas de milhares. A China é classificada como Nível 3 pela Agência Anti-tráfico do Departamento de Estado dos EUA – o nível mais baixo, o que significa que o governo “não cumpre totalmente os padrões mínimos para a eliminação do tráfico”.

De acordo com as autoridades chinesas, mais de 8.000 crianças sequestradas foram reunidas com seus pais biológicos em 2021, com muitos casos resolvidos usando o enorme banco de dados de DNA da polícia da China e tecnologia de reconhecimento facial.

Jessie Yeung, da CNN, contribuiu para esta reportagem.

Este é um texto traduzido. Clique aqui para ler o original.

Fonte: CNN Brasil

Maria Odete

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.