fbpx

Com 304 doações, Rio de Janeiro bate recorde de transplante de órgãos

Com 304 doações, Rio de Janeiro bate recorde de transplante de órgãos

Os dados são do Programa Estadual de Transplante (PET); desde 2010, programa já realizou mais de 15 mil procedimentos

Em 2019, o estado do Rio de Janeiro teve recorde no número de transplantes de órgãos: foram 304 doações. Os dados, referentes ao Programa Estadual de Transplante (PET), foram concedidos ao portal G1.

Criado em 2010, o PET já realizou mais de 15 mil procedimentos. Até então, o maior número de doações havia sido atingido em 2015, com 303 órgãos.

O novo recorde foi alcançado durante o Natal. Dezembro de 2019 também foi o mês com o maior número de procedimentos na história da iniciativa, com 35 doações.

É importante ressaltar que o Rio de Janeiro já esteve nas piores posições de transplantes do ranking nacional. Com este fato, a meta da administração em 2020 é estar entre os quatro maiores estados do Brasil que realizam o procedimento, e para 2022, zerar a fila do transplante de córnea.

Para alcançar esses feitos, em setembro do ano passado, o Governo do Estado, por meio da Secretaria Estadual de Saúde (SES), divulgou o investimento de R$ 25 milhões por ano para o programa.

O PET realiza transplantes e captação de coração, fígado, rim, medula óssea, osso, pele, córnea e esclera (membrana que protege o globo ocular). Para ser um doador, é necessário avisar a família sobre o desejo de se tornar um doador após a morte. Não é necessário deixar a vontade expressa em documentos ou cartórios, basta que a família autorize a doação de órgãos e tecidos. Para esclarecer outras dúvidas sobre a doação de órgãos, acesse: http://www.transplante.rj.gov.br/.

Fonte: Observatório do 3º setor

Maria Odete

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *