fbpx

Do orfanato para as olimpíadas. Atleta agradece pai solo que o salvou

Do orfanato para as olimpíadas. Atleta agradece pai solo que o salvou

A vida do Jordan Whindle teria sido bem diferente se não tivesse sido adotado pelo pai solo em um orfanato do Camboja nos anos 1990, quando estava debilitado e tinha apenas 1 ano de idade.

O homem que salvou o menino desnutrido e com infecção grave chama-se Jerry Whindle, um norte-americano gay que realizou na época o sonho de ser pai.

Hoje, Jordan Windle é atleta e uma das esperanças dos Estados Unidos para o salto ornamental nessas Olímpiadas. Ele agradeceu pelo que tem conquistado nessa vida e dedicou ao pai, que não pôde ir para Tóquio por causa das restrições da pandemia.about:blank

“Queria que ele estivesse lá, mas isso realmente não muda meu objetivo: me divertir, mostrar o que ei fazer e dar um show para todos. Espero deixá-lo orgulhoso”, disse o jovem em entrevista ao Today Parents.

“Quando estou competindo, geralmente consigo distinguir a voz do meu pai entre todos que estão na plateia, é incrível! Não o ter nas Olimpíadas será diferente”, afirmou Jordan.

Amor de pai

Jerry revelou que sempre quis ser pai, mas isso não parecia uma opção para um homem solteiro e gay como ele na década de 1990.

Ele descobriu a possibilidade de realizar o sonho folheando uma revista e encontrou uma matéria sobre um jovem que havia adotado sozinho uma criança no Camboja.

“A história falava sobre o vínculo entre pai e o filho, e aquilo ficou na minha cabeça … O artigo listava o número de um serviço de adoção. Liguei para lá e disse ‘Acabei de ler uma matéria, é realmente possível uma única pessoa adotar uma criança? ‘ e eles responderam que era.”

Determinado, Jerry deu início aos trâmites para adotar o menino Jordan no Camboja e, meses depois, estava pegando o filho no colo pela primeira vez em um orfanato do país.

O pequeno, que estava desnutrido e com uma infecção grave, lutava para se manter vivo quando os dois se conheceram.

A virada

Com o amor e os cuidados do pai, Jordan recuperou a saúde, cresceu e foi para Tóquio disputar uma medalha olímpica nos saltos ornamentais.

Ele começou  os saltos quando tinha apenas 7 anos.

Um técnico, ao ver o menino brincando na piscina, disse à Jerry que o pequeno tinha uma constituição física propensa para o esporte.

“Perguntei para o Jordan o que ele achava de saltos ornamentais e, imediatamente, ele ficou muito animado. Decidi apoiá-lo. Dois anos depois de começar a praticar, ele ficou em primeiro lugar no campeonato nacional júnior da modalidade. Ele é muito dedicado, esforçado e, com a comissão técnica, merece muito a oportunidade de competir nessas Olímpiadas”, disse o pai orgulhoso.

Veja a homenagem que Jordan fez ao Jerry, no Instagram, no último dia dos pais, com várias fotos deles juntos desde que o menino foi adotado:

“Feliz Dia dos Pais, pai. Você realmente é um homem extraordinário e estou muito orgulhoso do que você conquistou, desde que fui abençoado por fazer parte da sua vida. Você me faz trabalhar mais duro todos os dias. Não posso expressar o quão grato sou por seu amor e apoio. Amo você!

Com informações do Today Parents, Crescer e SNB

Maria Odete

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *