Homem planta 152 milhões de árvores e refloresta manguezal sozinho no Senegal

Homem planta 152 milhões de árvores e refloresta manguezal sozinho no Senegal

Um homem aposentado plantou incríveis 152 milhões de árvores em um intervalo de 10 anos às margens do rio Casamansa, no Senegal.

Plantando sem parar desde 2009, os esforços de Haïdar el Ali, 67 anos, garantiram um dos maiores legados da história do reflorestamento moderno em larga escala. Sozinho, ele restaurou todo um manguezal do país africano.

Em um vídeo compartilhado pela BBC, Haidar, que já foi Ministro da Ecologia e da Pesca de Senegal, mostra como faz o plantio em massa. “Você pega uma planta, coloca a alguns palmos embaixo da lama, dá dois passos para a frente e coloca mais uma”, explica o idoso, sempre com um sorriso no rosto.

Homem planta 152 milhões de árvores refloresta manguezal Senegal
Foto: Haidar/Serigne Diagne

Os manguezais são um tipo de ecossistema costeiro de transição entre os biomas terrestre e marinho. Eles são fundamentais para o equilíbrio ambiental e para a manutenção da vida marinha, pois abriga uma grande biodiversidade e serve como ‘berçário natural’ para várias espécies marinhas, onde peixes, moluscos e crustáceos se reproduzem e se alimentam.

Em entrevista à BBC, Haïdar conta que a floresta de mangue original no sul do Senegal foi destruída nas décadas de 80 e 90, quando o país começou a construir estradas que desviavam ou mesmo cobriam diversos fluxos de rios. “Na época, não havia estudos de impacto ambiental, é claro”, relata.

“Depois vieram os madeireiros, que cortaram os manguezais costeiros”, conta. Sem a camada de proteção verde, o sal da água do mar entrou no delta do rio, envenenando os campos de arroz próximos que muitas famílias cultivavam para subsistir.

Homem planta 152 milhões de árvores refloresta manguezal Senegal
Foto: Haidar/Serigne Diagne

Vinte anos depois, Haïdar, então um político do Partido Verde, decidiu concentrar seus esforços no reflorestamento e recuperação da área abandonada. Hoje, já aposentado, ele transformou a atividade num hobbie.

No auge dos seus 67 anos, ele nada de braçada pela floresta aquática, apontando onde vivem os animais e citando os benefícios para a economia local. De manhã até à noite planta incontáveis mudas, que crescerão vagarosamente com o passar dos próximos anos.

Sinto muita satisfação com isso. Estou pronto para fazer isso (plantar) todos os dias, a noite toda, toda a minha vida“, afirmou.

Fonte: adaptado Razões Para Acreditar

Maria Odete

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.